Limeira

Botion reformará estação ferroviária danificada por incêndio

Gestão do prefeito do PSD dará nova função ao espaço, que deverá ser utilizado para eventos culturais e educacionais


12 de março de 2019

 

Após a conclusão da obra, espaço deve ser transformado em espaço cultural.

 

Em Limeira, município de cerca de 300 mil habitantes do interior paulista, a gestão do prefeito Mario Botion (PSD) realizará uma reforma estrutural na estação ferroviária da cidade, que teve parte do telhado e de uma sala danificados por incêndio em novembro de 2018. Após a conclusão da obra, a administração pretende dar nova função ao espaço, que deve ser transformado em um ponto de cultura do município. A definição ocorrerá nos próximos dias.

Ainda sem prazo para começar, a reforma será custeada pela Rumo Malha Paulista S.A, como contrapartida a uma intervenção que a empresa terá de fazer nas estruturas metálicas da estação para permitir a passagem de vagões maiores. A Prefeitura informou que o projeto, orçado em R$ 750 mil, será desenvolvido pela Secretaria Municipal de Urbanismo, que deve finalizá-lo em até 90 dias.

O Conselho Municipal de Defesa do Patrimônio Histórico e Arquitetônico de Limeira (Condephali) avaliará o projeto e, se aprovar, encaminhará para a empresa executora. Depois da aprovação, a Rumo terá 120 para concluir a reforma.

O projeto incluirá a recuperação do telhado e de todas as salas, além de limpeza, pintura e recuperação de estruturas que fazem parte do patrimônio. “É uma obra de manutenção e revitalização desse espaço, que é público e tem valor histórico bastante grande para a cidade”, ressaltou o prefeito. Botion afastou a possibilidade de a estação ferroviária ser transformada em museu, pois o município já possui o Museu Major José Levy Sobrinho.

Incêndio

O incêndio atingiu a estação em 26 de novembro de 2018 e danificou o telhado de uma sala que guardava parte do acervo do Museu Major José Levy Sobrinho. O fogo também causou a perda de um projetor fotográfico e de sete carteiras do Grupo Escolar Coronel Flamínio Ferreira de Camargo, o primeiro da cidade. Os demais itens perdidos pertenciam à área administrativa.

 Comente!



*

multimídia
Vídeos
WhatsAppFacebookTwitter