Comunicação

Kassab destaca parcerias com cidades para ampliar internet

Ministro Gilberto Kassab esteve no interior de São Paulo para explicar aos prefeitos os benefícios do programa Internet para Todos, que levará conexão para 40 mil locais, como escolas e hospitais


04 de dezembro de 2017

O ministro Kassab: “É um projeto de inclusão social”

 

Em nova visita ao Vale do Paraíba na sexta-feira (1), o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, apresentou em Taubaté e em Cruzeiro, duas das principais cidades daquela região do interior de São Paulo, o programa Internet para Todos, que vai levar conexão para 40 mil localidades, como escolas e hospitais que hoje não dispõem desse serviço.

O objetivo é firmar parcerias com as cidades para ampliar a conectividade no país, por meio do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações (SGDC), lançado em maio. Em Taubaté, Kassab lembrou que “a pessoa sem conectividade no lugar onde mora está condenada a ter uma dificuldade muito grande na competitividade ao longo da sua vida, assim como o acesso aos serviços de saúde. O Internet para Todos é um programa que será estendido para todo o país, um investimento de R$ 2,8 bilhões do governo federal, o que nos dá oportunidade de levar acesso à internet para mais de 40 mil localidades”.

Durante sua visita a Cruzeiro, o ministro afirmou que o programa Internet para Todos vai elevar o patamar da educação e da assistência à saúde, além de ampliar a inclusão digital em todo o Brasil. “É algo muito importante e que vai mudar o patamar da educação brasileira, da ciência médica no nosso país e, enfim, do padrão de digitalização do Brasil. É um projeto de inclusão social”, disse.

Na próxima semana, o Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações deve publicar a portaria que detalha como os municípios com áreas sem internet podem participar do programa.

De acordo com o ministro, a contrapartida das cidades é mínima diante do benefício da conexão à banda larga. “Identificada a localidade, a prefeitura precisa ter um terreno onde vai ser instalada a antena e terá que assumir a segurança do local e custear a energia para a estrutura. Além disso, o Executivo deve enviar para a câmara municipal um projeto isentando de ISS [Imposto Sobre Serviço] essa operação. É um benefício muito grande diante do custo reduzido para a cidade e bastante reduzido para o usuário final”, explicou.

O diretor técnico-operacional da Telebras, Jarbas Valente, ressaltou que é importante que as prefeituras se cadastrem para que o ministério identifique as áreas que precisam de conexão. “Essas áreas, que chamamos de povoados ou localidades, poderão se credenciar e assinar um termo junto ao ministério. São 40 mil cadastradas hoje, mas nós achamos que têm mais. São regiões em áreas escuras, atrás de um morro, por exemplo, que o satélite permite levar a internet com a mesma qualidade que há na cidade”, disse.

Kassab destacou ainda as parcerias do MCTIC com outros ministérios para a utilização da capacidade do SGDC. Atualmente, há acordos firmados com os ministérios da Defesa e da Educação para levar internet banda larga para escolas, unidades das Forças Armadas em áreas isoladas e postos de fronteira. Em breve, será formalizado um acordo com o Ministério da Saúde para ampliar a rede de unidades de saúde atendidas pelo satélite. “Isso significa mais segurança para o cidadão, mais educação e um serviço de saúde de melhor qualidade”, ressaltou Kassab.

 Comente!



*

multimídia Vídeos
WhatsAppFacebookTwitter