ÍNDICE FIRJAN

Mogi das Cruzes sobe em ranking de desenvolvimento

Marco Bertaiolli, do PSD, era prefeito no ano analisado pela pesquisa e avalia que o índice é resultado das políticas públicas


04 de julho de 2018

O ex-prefeito Marco Bertaiolli: “A evolução nos número deste índice é o resultado da implantação de políticas públicas que priorizaram a saúde e a educação”

 

De 2015 para 2016, o município de Mogi das Cruzes, na Região Metropolitana de São Paulo, registrou evolução em todos os indicadores analisados pelo Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (IFDM), entidade ligada à Federação da Indústria do Estado do Rio de Janeiro. Se em 2015 a cidade alcançou o índice de 0,8041, o que já era considerado como “Alto Desempenho”, no ano seguinte apresentou elevação para 0,8444. Em 2016, Marco Bertaiolli, coordenador do PSD nas regiões do Alto Tietê e no Vale do Paraíba, era prefeito de Mogi das Cruzes.

O índice varia de 0 (mínimo) a 1 ponto (máximo) para classificar o nível. São quatro categorias: baixo (de 0 a 0,4), regular (0,4 a 0,6), moderado (de 0,6 a 0,8) e alto (0,8 a 1) desenvolvimento. Ou seja, quanto mais próximo de 1, maior o desenvolvimento da localidade.

O índice Firjan acompanha, anualmente, o desenvolvimento socioeconômico de todos os mais de cinco mil municípios brasileiros em três áreas de atuação: Emprego e renda, Educação e Saúde. Criado em 2008, ele é elaborado, exclusivamente, com base em estatísticas públicas oficiais, disponibilizadas pelos ministérios do Trabalho, Educação e Saúde.

Mogi registrou melhora, de 2015 para 2016, em todos os indicadores. A educação foi de 0,935 para 0,939, saúde de 0,894 para 0,911 e emprego e renda de 0,582 para 0,682. O estudo mais recente, divulgado na semana passada, tem como base de análise o ano de 2016.

Bertaioli, que é pré-candidato do PSD a deputado federal nas eleições de outubro, avalia que a evolução dos índices é resultado das políticas públicas que tiveram como foco as três áreas analisadas pelo estudo.

“A evolução nos número deste índice é o resultado da implantação de políticas públicas que priorizaram a saúde e a educação”, afirmou. “Ao longo de 8 anos à frente da Prefeitura, construímos 80 unidades educacionais, colocamos 26 mil alunos em Período Integral, dobramos o número de equipamentos de saúde existentes no município, com novos serviços como o Hospital Municipal, as duas Unidades de Pronto-Atendimento (UPAs), o Sistema Integrado de Saúde e o Serviço Móvel de Urgência e Emergência, o Samu”, enumerou o ex-prefeito.

Bertaiolli destacou que todas estas medidas impactaram diretamente e de forma positiva no desenvolvimento socioeconômico de Mogi. “Estes dados comprovam que estávamos no caminho certo ao priorizar a saúde e a educação como as áreas de maior atenção da administração. Estes setores, aliados ao combate do desemprego e investimentos em seguros, devem estar em primeiro plano em todas as esferas governamentais”, avaliou.

Os investimentos citados pelo ex-prefeito fizeram com que Mogi das Cruzes subisse no ranking do Índice FIRJAN de Desenvolvimento Municipal: De 262º para 108º lugar, no ranking nacional; e de 111º para 63º lugar, no estadual.

 Comente!



*

multimídia Vídeos
WhatsAppFacebookTwitter