Sindicatos

UGT recebe homenagem pelos 10 anos de sua fundação

Presidente licenciado do PSD, ministro Gilberto Kassab participou de sessão solene que homenageou a União Geral dos Trabalhadores na Assembleia Legislativa de São Paulo


07 de agosto de 2017

O ministro Gilberto Kassab e Ricardo Patah, presidente da UGT, durante homenagem na Alesp

 

Com a presença do ministro das Ciências, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, a Assembleia Legislativa paulista homenageou nesta segunda-feira (7) a União Geral dos Trabalhadores (UGT) pela comemoração de seu 10º aniversário de fundação. Durante o evento, que reuniu lideranças políticas e sindicais no salão nobre da casa, o presidente da entidade, Ricardo Patah, que também é o coordenador do PSD Movimentos, destacou que a UGT, “desde que nasceu, luta pela base, pelos que muitas vezes não têm voz”.

De acordo com Patah, “nós nascemos para somar, agregar, unir. Fomos sempre contra qualquer tipo de segregação. Nesses dez anos, são muitas as atividades das quais nos orgulhamos. Lutamos pela acessibilidade, pelo direito da mulher, pela inclusão, pelo público LGBT, entre muitas outras ações. A UGT já nasceu com o conceito de inclusão e respeito. É por isso que, há dez anos, tínhamos 180 sindicatos e, hoje, são 1386 filiados”.

O presidente da UGT lembrou que o país atravessa dificuldades. “Estamos num momento difícil, mas a reforma trabalhista está aí e vamos superá-la com criatividade. A UGT é reformista desde sempre, mas não de forma que prejudique o trabalhador. É justamente o contrário o que queremos e vamos conseguir. Vamos lutar pela reforma política e pelo fim da corrupção, tornando o sindicalismo cada vez maior”, falou Ricardo Patah.

Para o ministro Gilberto Kassab, presidente licenciado do PSD, a União Geral dos Trabalhadores, em seus 10 anos de atividades, “fortaleceu o conceito de sindicalismo cidadão, ético e inovador e é exatamente dessa maneira que todos nós enxergamos a entidade”. Para ele, a UGT tem conseguido, com seu trabalho em Brasília, atenuar a incompreensão da sociedade brasileira. “Temos que continuar com esse trabalho de recuperação da capacidade dos sindicatos em atuar em benefício dos trabalhadores, com ações que fortaleçam a economia e permitam que os trabalhadores sejam prestigiados”, completou.

A homenagem, proposta pelo deputado estadual Davi Zaia, foi, segundo ele, uma demonstração do reconhecimento que a Assembleia Legislativa tem do trabalho desenvolvido pela UGT, que representa mais de 10 milhões de trabalhadores em todo o país. “A realidade do trabalhador está mudando muito; são novas tecnologias que, a cada dia, geram novas formas de organização da sociedade, novas formas de trabalho, e a UGT vem acompanhando tudo isso”, completou Davi Zaia.

Em seu discurso, Ricardo Patah lembrou que, considerada uma central sindical jovem, a UGT iniciou as atividades com 180 sindicatos, e atualmente conta com 1.386 espalhados por todo o Brasil. “Queremos um Brasil para todos, e não apenas para alguns. A maior parte daqueles que estão conosco são pessoas que carregam o país, recebendo salários miseráveis, e é por eles que lutamos. Temos um papel importante na valorização digna, inclusive das minorias, mulheres e afrodescendentes, por exemplo, que são ignoradas e discriminadas. Já enfrentamos muitas batalhas e não ficaremos aterrorizados e paralisados”, disse Patah, referindo-se à aprovação da Reforma Trabalhista.

Gilberto Kassab também lembrou que, a partir da primeira década, já consolidada, a UGT tornou-se uma das maiores centrais sindicais do país, pois participa de todas as decisões que envolvem a economia do Brasil. “A nova etapa é planejar os próximos 10 anos. Hoje, a UGT está trabalhando no sentido de buscar um espaço para o trabalhador, junto ao Congresso Nacional e ao Poder Executivo, para que seja aperfeiçoada a reforma trabalhista”, finalizou Kassab.

 Comente!



*

multimídia Vídeos
WhatsAppFacebookTwitter