Gilberto Kassab: O Estado precisa estar à frente do crime

Em artigo publicado no Diário do Grande ABC, o presidente nacional do PSD defende a valorização das polícias para dar a elas vantagem em relação aos bandidos.


06 de setembro de 2014

Gilberto Kassab*

A violência voltou a mostrar sua face no Estado de São Paulo. O que parecia ser fato do passado voltou a ser destaque na imprensa e nas rodas de conversas de familiares, amigos e colegas. Há 20 anos, a criminalidade parecia incontrolável, tanto na capital quanto nas cidades da região metropolitana de São Paulo. Na década de 2000, a adoção de uma política de segurança pública mais eficaz limitou esses índices a patamares civilizados.

Porém, recentemente, temos visto a criminalidade recrudescer no Estado, sem uma reação à altura de parte do governo. No caso das cidades do ABCD, as estatísticas mostram que o medo da população é real e tem base nos dados da Secretaria de Segurança Pública.

Somente em Santo André, foram 41 assassinatos entre janeiro e julho deste ano. Mesmo número verificado nos primeiros sete meses de 2013 e 50% maior do que no mesmo período de 2012, quando ocorreram 27 homicídios dolosos. São Bernardo registrou 35 assassinatos até julho deste ano e Diadema outros 34.  Exceção, São Caetano vem mantendo baixos índices de homicídios: foram dois nos sete meses de 2014 (1, em 2013, e 3, em 2012).

Para restabelecermos o controle da situação e reduzirmos os números da violência, é preciso aliar aumento nos investimentos em inteligência à melhoria nos salários e na estrutura das Polícias Militar e Civil.

O policial precisa se sentir valorizado e saber que está protegido pela corporação, quando arrisca sua vida em ações de alta periculosidade. Por isso, apoio e defendo a aprovação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 300 no Congresso Nacional, para equiparar os salários de PMs e bombeiros de todo o país aos vencimentos pagos no Distrito Federal. Alguém cujo ofício inclui risco de morte precisa ser muito bem remunerado e saber que sua família está protegida. Necessita também de formação de alto nível e de equipamentos de qualidade.

Na Prefeitura de São Paulo, implantei a Operação Delegada, que remunera policiais militares durante a sua folga para reforçar o policiamento em áreas mais violentas. Com mais de 4 mil PMs, a Operação chegou a reduzir em 70% o índice de criminalidade em bairros da capital paulista. O programa foi tão bem-sucedido que mais de 40 municípios paulistas o adotaram.

As esferas de governo precisam, antes de tudo, admitir que a guerra contra o crime não foi vencida. O inimigo está sempre à espreita, à espera de uma oportunidade para a contravenção. Nesse caso, é obrigação do Estado estar à frente do criminoso. Para isso, é preciso valorizar as polícias, formá-las e equipá-las para que estejam em vantagem em relação aos bandidos. E não o contrário, como vemos hoje.

* Gilberto Kassab é presidente nacional do PSD e candidato ao Senado – Artigo publicado no jornal Diário do Grande ABC, em 6/9/2014

 Comente!



multimídia
Vídeos
WhatsAppFacebookTwitter