Com Kassab, parques triplicam, e SP ganha 1,5 milhão de árvores

Entre 2006 e 2012, atingiu a marca de 100 parques, mais de 130 milhões de metros quadrados de áreas verdes e foram criados ainda 24 parques lineares, recuperando áreas de várzea e reduzindo a incidência de enchentes


27 de maio de 2014

Vista do Parque do Povo

Vista do Parque do Povo

Entre 2006 e 2012, o número de parques na cidade de São Paulo triplicou, passando de 34 para 100, e a capital recebeu 1,5 milhão de árvores novas. A gestão de Gilberto Kassab na Prefeitura paulistana teve como marca a preocupação ambiental em todas as áreas de governo. Como resultado, o município ganhou ar mais limpo e novas opções de lazer e esporte para moradores de bairros que antes viviam sem essa alternativa.

Entre 2006 e 2012, foram criados ainda 24 parques lineares, recuperando áreas de várzea e reduzindo a incidência de enchentes. Nesse mesmo período, o município ganhou uma média de 200 mil árvores plantadas anualmente, ou dez vezes mais que a média de plantio até 2004. A quantidade de áreas protegidas saltou de 15 milhões de m2, em 2005, para 25 milhões de m2, em 2012.

Na administração Kassab, foi feito um amplo levantamento de áreas verdes no território paulistano com objetivo de desapropriar essas áreas e transformá-las em parques municipais. Ao longo desse processo, foram criados parques das mais diversas dimensões e um plano que permitiria à cidade contar com mais 130 milhões de m2 em áreas verdes nos próximos anos. É um projeto grande, ambicioso, caro, porém útil, necessário e realista.

São Paulo foi a primeira cidade brasileira a elaborar uma política municipal de combate ao processo de mudanças climáticas. A gestão Kassab criou e aprovou a lei que instituiu a Política Municipal de Mudanças do Clima de São Paulo, que preconiza a redução das emissões de poluentes no ar da cidade, entre outras medidas de proteção ao patrimônio ambiental.

São Paulo também foi pioneira na implantação de um Programa de Inspeção Veicular Ambiental, com o objetivo de minimizar as emissões de poluentes gerados por veículos. O programa foi estruturado de acordo com os padrões recomendados pelo Conselho Nacional de Meio Ambiente (CONAMA), órgão ligado ao Ministério do Meio Ambiente e que, posteriormente à implantação da inspeção em São Paulo, determinou a aplicação do serviço em todo o país.

A Lei Cidade Limpa, de desenvolvimento urbano, também representa um marco importante para São Paulo. Ela foi criada com o objetivo de reduzir a poluição visual da cidade, além de proteger e valorizar o espaço urbano, o patrimônio histórico e a arquitetura da cidade. Ganhou reconhecimento internacional e transformou a paisagem paulistana.

 Comente!



multimídia
Vídeos
WhatsAppFacebookTwitter