Encontro de Mogi das Cruzes reforça opção por candidatura própria e pelo nome de Kassab

Cerca de 300 pessoas participaram do evento, entre parlamentares, lideranças regionais e militantes do PSD. reunião foi comandada por Alda Marco Antonio, coordenadora nacional do PSD Mulher, e pelo deputado federal Junji Abe (foto).


21 de fevereiro de 2014

SAMSUNG CSC

Alda Marco Antônio ao lado do deputado Junji Abe

Parlamentares, lideranças regionais e militantes do PSD participaram, nesta quinta-feira (20) do Encontro Regional do partido na cidade de Mogi das Cruzes, na Grade São Paulo, com o objetivo de debater os planos para as eleições deste ano. De forma unânime, os presentes defenderam a candidatura própria ao Governo do Estado de São Paulo. E o nome apoiado para esta tarefa foi o do presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab.

A reunião foi comandada por Alda Marco Antonio, coordenadora nacional do PSD Mulher, e pelo deputado federal Junji Abe. Cerca de 300 pessoas participaram do evento e manifestaram suas opiniões por meio de um questionário.

Para Alda Marco Antonio, “o PSD, terceiro maior partido do país, tem a obrigação de dizer o que pretende fazer, mostrar seu programa, seus princípios”. Ela ressaltou que o partido tem muito a apresentar e quer fazer isso na eleição de 2014. “Queremos ganhar porque temos programa. Queremos melhorar a vida das pessoas. Ver o nosso Estado voltar a liderar o desenvolvimento do país”, concluiu.

O deputado Junji Abe afirmou que o nome de Kassab foi uma necessidade percebida dentro do partido. “Nós fizemos um apelo para que ele aceite ser candidato a governador na eleição deste ano. Conhecemos o trabalho que ele fez na Prefeitura de São Paulo. E tudo que é bom tem que continuar”, afirmou. O PSD, segundo ele, “tem que resgatar a segurança que as famílias paulistas precisam”.

SAMSUNG CSC

PSD Mulher

Alda Marco Antonio explicou a campanha feita pelo PSD para uma maior participação feminina na política. Segundo ela, o partido chegou à conclusão de que o aperfeiçoamento do exercício de cidadania depende de uma maior presença das mulheres. “O Brasil precisa das mulheres. A democracia precisa das mulheres”, afirmou.

A dirigente do PSD lembrou que a mulher ainda é sub-representada na política. “Somos a maioria da população, mas temos uma participação de cerca de 20% na vida dos partidos. Somos cerca de 10% do total de parlamentares.” Por isso, de acordo com Alda, o PSD “dá uma abertura muito grande para o crescimento interno das mulheres”.

 

 

 Comente!



multimídia
Vídeos
WhatsAppFacebookTwitter