educação

Gracinha Ferreira investe no setor educacional de Ilhabela

Gestão da prefeita do PSD promove reformas e ampliações de escolas para aumentar a oferta de vagas e melhorar as condições de ensino no município


25 de junho de 2020

A prefeita Gracinha Ferreira

 

Enquanto os cerca de 6.500 alunos da rede municipal de ensino de Ilhabela não retornam às aulas presenciais, a gestão da prefeita Gracinha Ferreira (PSD) investe em obras que vão garantir a ampliação do número de vagas e melhores condições para a aprendizagem no município do litoral Norte paulista. A lista de obras que devem ser entregues nos próximos meses inclui a reformulação da Escola Municipal Luiza Aparecida de Souza Tangerino, no bairro Itapecerica, e a recuperação do prédio da EM Anna Leite Julião Torres, no Bexiga.

A nova EM Luiza Aparecida de Souza Tangerino terá 970 metros quadrados e está sendo construída em terreno que abrigava um antigo prédio de 270 metros quadrados, onde estudavam apenas 30 alunos. Após a obra da Prefeitura, a unidade poderá atender até 200 crianças da creche e do Ensino Fundamental.

Na EM Anna Leite Julião Torres, uma das maiores escolas da região Sul da cidade, a Prefeitura executou serviços como troca de piso do pátio, construção de muro de arrimo, substituição de telhas e pintura. Em função de problemas estruturais, a unidade havia sido interditada pela administração.

Obras na Escola Luiza Tangerino

 

Atendendo a uma reivindicação da comunidade, a Prefeitura firmou uma parceria com o Governo do Estado para que, além dos alunos do Ensino Fundamental, a escola pudesse receber estudantes do Ensino Médio. “Todas essas obras permitirão melhorar as condições de ensino em Ilhabela e tornarão o ambiente escolar ainda mais adequado”, destacou a prefeita.

Outro pedido da população atendido por Gracinha Ferreira foi a construção de cinco salas na EM Prefeito Leonardo Reale, no bairro Armação, que atenderá 231 crianças. Antes da obra, os alunos do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental tinham de se deslocar até o bairro Saco da Capela para estudar.

A relação de unidades que passaram por reformas inclui as escolas Professora Ophélia Reale Montanhesi, Prefeito Eurípedes da Silva Ferreira, Thereza de Freitas Vidal, Waldemar Belisário, Nilce Signorini, Ruth Cardoso e Antonio Marques. A lista completa pode ser conferida aqui.

Retorno

Nesta quarta-feira (24), o Governo do Estado de São Paulo anunciou que as aulas presenciais devem retornar a partir do dia 8 de setembro em todos os níveis de ensino das redes pública e particular. O retorno somente vai ocorrer se todas as regiões do Estado permanecerem por 28 dias consecutivos na fase 2 (amarela) do Plano São Paulo, que permite essa flexibilização, e será dividido em etapas.

Na primeira etapa, as escolas terão ocupação máxima de 35%, com revezamento de estudantes e respeito aos protocolos de segurança estabelecidos no plano. Em uma unidade escolar com mil estudantes, por exemplo, somente 350 poderão ter aulas presenciais a cada dia, enquanto os demais continuarão realizando atividades remotas. Mais informações sobre as etapas e os critérios do Plano estão disponíveis aqui.

 Comente!



multimídia
Vídeos
WhatsAppFacebookTwitter