Kassab e Meirelles dizem que é inadmissível SP sofrer com a falta de água

Ambos participaram de encontro realizado este sábado (22) em São José dos Campos, que reuniu 1.500 pessoas – prefeitos, vereadores e lideranças de 50 cidades do Vale do Paraíba e do Alto Tietê.


22 de março de 2014

DSCN3229

Meirelles, Kassab e Alda Marco Antonio em São José: ônibus do PSD roda o interior paulista

O presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, disse hoje (22), no Vale do Paraíba, que a crise de abastecimento de água na Grande São Paulo é consequência da falta de planejamento e de investimentos do Governo do Estado. A afirmação foi feita durante Encontro Regional do PSD em São José dos Campos. “Uma das maiores riquezas do Brasil e do Estado de São Paulo é a água em abundância. Por isso, é inadmissível essa crise atual”, disse Kassab.

Para o ex-prefeito da capital, a situação foi provocada por falhas administrativas. “Não houve planejamento, nem investimento em obras.” Por isso, defendeu Kassab, “é preciso alternância de poder, é hora de reciclar”.

O ex-presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, que também participou do encontro, criticou o fato de São Paulo correr o risco de ficar privada do fornecimento de água. “É por isso que acredito que Gilberto Kassab vai fazer São Paulo voltar a ser o que foi. Um Estado forte, do qual todos se sintam orgulhosos, e não um Estado preocupado com a discussão sobre para onde a água vai.” Para Meirelles, é absurdo o fato de o Brasil ter a maior reserva de água doce do mundo e ter que ficar discutindo de onde tirar água para sua maior cidade. “Faltou gestão”, disse, reforçando que o PSD tem qualidades para fazer uma administração melhor.

Meirelles e Kassab: falta de gestão está na origem da crise da água em São Paulo

Meirelles e Kassab: falta de gestão está na origem da crise da água em São Paulo

O deputado federal Junji Abe, presente ao encontro, criticou a proposta do Governo do Estado de retirar água do rio Paraíba do Sul para abastecer a capital do Estado. Ele apontou a falta de planejamento do governo estadual e a pressa em tentar medidas que resolvem por um lado, mas criam problemas por outro, trazendo prejuízo ao Vale do Paraíba. “Não podemos cobrir um santo descobrindo outros.”

As qualidades da chapa majoritária que o PSD planeja para São Paulo foram ressaltadas por Alda Marco Antonio, coordenadora nacional do PSD Mulher. Ela elogiou o preparo que Kassab tem para a administração pública e afirmou que o partido só tem a ganhar com a proposta de candidatura de Henrique Meirelles ao Senado. “Ele foi, como presidente do Banco Central, o responsável pelo melhor momento da economia do nosso país. Imaginem o que ele poderá fazer pelo nosso Estado no Senado Federal.”

Ricardo Patah, presidente da UGT (União Geral dos Trabalhadores), abordou a posição do PSD de defesa do constante aprimoramento das políticas de distribuição de renda. De acordo com o sindicalista, por mais riquezas que o Brasil possua, ainda não existe a distribuição de renda necessária no país. “Por isso, defendo essa proposta que o PSD representa: um projeto de inclusão social e valorização da cidadania”, concluiu.

A presença maciça de representantes dos 50 municípios que compõem as regiões do Vale do Paraíba e do Alto Tietê foi destacada pelo prefeito de Mogi das Cruzes, Marco Bertaiolli. Estiveram presentes vereadores, lideranças regionais e dirigentes do partido das 50 cidades que compõem as regiões do Vale, Litoral Norte e Alto Tietê, assim como prefeitos e ex-prefeitos, entre eles, os de Pindamonhangaba, Roseira, Caçapava e Paraibuna. Carlinhos Almeida, prefeito de São José dos Campos, também prestigiou o evento, comparecendo para desejar sucesso ao PSD.

Cerca de 1.500 pessoas participaram do sexto Encontro Regional realizado pelo PSD – os anteriores aconteceram nas Regiões Administrativas de Marília, Bauru, Franca, São José do Rio Preto e Ribeirão Preto.

 Comente!



multimídia
Vídeos
WhatsAppFacebookTwitter