GESTÃO

Olímpia facilita crédito para empresários locais

Medida adotada pela gestão do prefeito Fernando Cunha (PSD) tem como objetivo reduzir prejuízos financeiros provocados pela disseminação do novo coronavírus


23 de março de 2020

 

O prefeito de Olimpia, Fernando Cunha.

 

Para enfrentar os prováveis impactos da disseminação do novo coronavírus na economia de Olímpia, município de cerca de 55 mil habitantes do interior paulista, o prefeito Fernando Cunha (PSD) assinou um decreto que estabelece medidas de apoio aos empresários da cidade, entre elas a abertura de linhas de crédito com condições especiais para empreendedores. Olímpia já registrou sete casos suspeitos de Covid-19, doença respiratória causada pelo vírus, que estão sendo monitorados pela Prefeitura.

Ao todo, a administração disponibilizou R$ 1,2 milhão no Banco do Povo Paulista para a concessão de créditos aos empreendedores, que terão carência de 90 dias para o início do pagamento e prazo de até 36 meses para a quitação. O limite de crédito é de R$ 20 mil para cada empreendedor.

Para facilitar o acesso, foi dispensada a exigência de avalista para a concessão de até R$ 3 mil. “Estamos decretando uma série de flexibilidades, carências e protelações na área financeira. Tudo aquilo que a gente for identificando que possa ajudar a população, os empregados e empresários da nossa cidade a passarem por essa crise nós iremos fazer. Adaptaremos esse decreto quantas vezes for preciso”, explicou o prefeito em vídeo publicado na sexta-feira (20) em suas redes sociais.

Além de amparar os empreendedores, o decreto estabeleceu a suspensão por 90 dias do pagamento de parcelas do IPTU, ISS, taxas e outras dívidas ativas. Nesse período, não haverá cobrança de juros e a administração estima que o impacto financeiro da medida pode chegar a R$ 800 mil.

Para receber o benefício, o contribuinte deve solicitar a adesão até o dia 30 de abril. O requerimento está disponível no site da Prefeitura (www.olimpia.sp.gov.br), que traz mais informações sobre o decreto.

Outro prazo prorrogado por 90 dias foi o pagamento da taxa de licença de funcionamento para estabelecimentos comerciais. A medida deve resultar em impacto financeiro de R$ 420 mil e os interessados também precisam aderir até o dia 30 de abril.

 Comente!



multimídia
Vídeos
WhatsAppFacebookTwitter