Operação Delegada se expande e deve beneficiar 50 cidades este ano

Medida inédita implantada durante a gestão de Gilberto Kassab já está em operação em 17 municípios em todo o Estado de São Paulo.


13 de maio de 2013

Com os convênios, os PMs podem trabalhar até 96 horas por mês na operação, pondo fim aos chamados bicos ilegais.

Ainda este ano, cerca de 50 municípios do Estado de São Paulo deverão realizar convênios com a Polícia Militar estadual para a realização da chamada Operação Delegada em seus territórios. Iniciada em 2 de dezembro de 2009, na cidade de São Paulo, foi uma medida inédita da gestão do então prefeito Gilberto Kassab.É realizada a partir de um convênio entre a Prefeitura e o Governo do Estado. Com os convênios, os PMs podem trabalhar até 96 horas por mês na operação, pondo fim aos chamados bicos ilegais.

No Interior de São Paulo, segundo a Secretaria Estadual da Segurança Pública, o convênio já existe em 17 cidades, sendo que outras 40 já estão em processo de aprovação pela PM. A primeira cidade do interior a aderir ao projeto, em 2011, foi Mogi das Cruzes, que viu na operação a possibilidade de combater o comércio ambulante irregular. O problema, segundo o secretário de Segurança Pública da cidade, Eli Nepomuceno, foi resolvido. “Tínhamos na área central vários problemas com vendedores ambulantes irregulares. Graças à operação, a situação foi equacionada”, garante.

Na capital, a eficácia da operação é abordada de outra forma. Segundo a SSP, o aumento do contingente de policiais na rua aumentou a sensação de segurança da população e ajudou a reduzir índices de violência – segundo a pasta, os furtos da rua 25 de março, no Centro, caíram em cerca de 80% no primeiro ano do convênio.

Além do combate do comércio ambulante ilegal, a Operação Delegada também levou à redução da criminalidade em pontos importantes da cidade. Destaque para a região da Rua 25 de Março, que teve 59% menos incidência de roubo, e para as subprefeituras da Mooca, Santo Amaro e Sé, que registraram queda de 70% na criminalidade. A Prefeitura investiu R$ 150 milhões na Operação Delegada em 2013. Entre 2009 e 2011, 513,9 milhões foram investidos na iniciativa.

Para o vereador Coronel Camilo, que foi comandante da Polícia Militar do Estado de São Paulo por três anos, “o modelo é um sucesso que precisa continuar e progredir. Prova disso é a adesão de diversos municípios do Estado: Mogi das Cruzes, na Grande São Paulo, além de Andradina, São José do Rio Preto e Assis, no Interior. Vinte e duas cidades estão com os convênios prontos para serem assinados e outras 54 estão com a documentação sendo analisada pela Polícia Militar para poder implantar a Operação Delegada. Esse resultado faz parte de uma grande parceria, pois ninguém faz nada sozinho e sempre é possível melhorar”.

Para ele, é motivo de orgulho ter, junto com o prefeito Gilberto Kassab, criado e implantado a Operação na cidade de São Paulo. “É uma iniciativa em que todos ganham. O policial, que trabalha fardado e protegido pela lei; o Estado, que conta com mais policiais nas ruas; a Prefeitura, que resolveu um problema crônico da cidade; e, principalmente o cidadão, que pode fazer suas compras e caminhar com mais segurança. A criminalidade caiu em média 60% nas áreas implantadas e melhorou a sensação de segurança da população”, afirma.

Em matéria publicada neste domingo, o jornal Destak lembra que, apesar de proporcionar um pagamento extra ao policial com o respaldo da Polícia Militar, o número de oficiais inscritos na Operação Delegada de São Paulo vem se reduzindo nos últimos meses na cidade. A queda ocorreu após a Prefeitura ampliar as atribuições dos oficiais para atividades de maior risco, como a manutenção da ordem e do silêncio em bairros com altos níveis de criminalidade. O secretário municipal de Segurança Urbana, Roberto Porto, admitiu preocupação. “Se ninguém se inscrever, vamos ter de pensar uma saída com a PM”, disse.

 Comente!



multimídia
Vídeos
WhatsAppFacebookTwitter