eleições 2020

Orsi defende gestão ágil e transparente em Campinas

Para melhorar os serviços públicos e a capacidade de investimento do município, candidato do PSD à Prefeitura promete cortar 80% dos cargos comissionados


20 de outubro de 2020

 

O vereador Artur Orsi (à dir) e o candidato à vice, capitão Pereira: “A capacidade de investimento do município será recuperada por meio da racionalização de custos”

 

Uma gestão caracterizada pela transparência no uso dos recursos públicos, o enxugamento da máquina administrativa e a melhoria da qualidade dos serviços oferecidos em Campinas — município do interior do Estado de São Paulo com população estimada pelo IBGE em 1,2 milhão de habitantes. Assim poderia ser descrito um eventual mandato do candidato do PSD à Prefeitura, o ex-vereador Artur Orsi.

“Um dos pontos fundamentais da minha gestão será o enxugamento da máquina administrativa, com redução do número de secretarias municipais e corte de 80% dos cargos em comissão, cerca de 1.800 pessoas apenas na administração direta. A capacidade de investimento do município será recuperada por meio da racionalização de custos sem prejuízo dos serviços prestados à população”, destaca o candidato.

Orsi disputa pela segunda vez a Prefeitura de Campinas. Na eleição de 2016, obteve 76.250 votos e ficou em segundo lugar.

Em entrevista ao site do PSD, ele detalhou suas propostas para outras áreas do município, como saúde, educação e segurança pública, além de falar sobre a escolha do candidato a vice-prefeito na chapa majoritária, o capitão da PM José Antonio Pereira Júnior, conhecido como Capitão Pereira, também filiado ao partido.
Confira a entrevista a seguir:

Como o senhor avalia a situação da cidade hoje? Caso seja eleito, quais serão as suas prioridades?

Campinas é uma cidade que sempre foi referência em modernidade, ciência e tecnologia, geração de conhecimento e em desenvolvimento econômico. Nesta última década, contudo, a cidade vem pagando o preço da ineficiência e de procedimentos criminosos adotados em sucessivas gestões.

O município tem uma máquina pública inchada, conduzida sem boas práticas de gestão, o que gerou perda da capacidade de investimento em infraestrutura e em serviços públicos eficazes. O excesso de cargos comissionados e a falta de agilidade e de eficiência para o desenvolvimento e execução de projetos impedem que principalmente as regiões mais vulneráveis recebam melhorias e benefícios.

O caminho do atraso que a Prefeitura de Campinas trilhou nos últimos anos tem sido foco da minha atenção. Exerci meus três mandatos na Câmara Municipal determinado a interromper esse processo e obtive vitórias. Fui autor do pedido de cassação do ex-prefeito Hélio de Oliveira Santos, afastado da prefeitura em razão de práticas ilícitas; propus e presidi a CPI da Corrupção; além de outras iniciativas que dispunham sobre a transparência e a fiscalização da gestão e do poder público.

Agora quero ser prefeito de Campinas para zelar pela cidade e pelas pessoas. Serei acompanhado por uma equipe de colaboradores escolhida pelo critério de qualidade e experiência, que saiba ouvir o que a população tem a dizer, que defina prioridades para cuidar do município e fiscalize o cumprimento das leis.

Paralelamente a isso, manterei igual preocupação com o futuro ao elaborar e viabilizar projetos para as próximas décadas. Eu e minha equipe vamos gerenciar Campinas pautados pela promoção dos conceitos de equilíbrio social, de desenvolvimento sustentável, de mobilidade e acessibilidade, de melhoria ambiental e de consolidação do município como uma cidade conectada.

Um dos pontos fundamentais da minha gestão será o enxugamento da máquina administrativa, com redução do número de secretarias municipais e corte de 80% dos cargos em comissão, cerca de 1.800 pessoas apenas na administração direta. A capacidade de investimento do município será recuperada por meio da racionalização de custos sem prejuízo dos serviços prestados à população. Compras e contratações serão pautadas pelo respeito aos recursos públicos, priorizando sempre a transparência, o controle e cumprimento das metas. A nova gestão prevê também uma reavaliação e forte redução dos aditamentos de contratos vigentes e priorização de novos processos de licitação.

O novo governo incentivará a aplicação de boas práticas de gestão para padronizar e garantir segurança jurídica a todos os atos administrativos de servidores.Tal meta será implementada por meio de um processo de compliance para a prevenção a desvios de conduta. A criação de uma controladoria interna reforçará os procedimentos de controle efetivo dos recursos públicos municipais.

 

Quais são os bairros que não receberam a devida atenção da atual gestão que o senhor pretende valorizar?

Cada região de Campinas tem suas peculiaridades e carências. Áreas localizadas nas bordas do município enfrentam deficiências estruturais básicas e históricas de infraestrutura, saúde e educação que terão de ser enfrentadas desde o primeiro dia do nosso governo.

A área central, por sua vez, foi submetida a um contínuo processo de abandono e degradação que exigirá da nossa futura administração um projeto de revitalização e reocupação dos espaços, provavelmente com participação da iniciativa privada, através de mecanismos específicos a serem criados.

Portanto, essa diversidade de cenários, própria de uma metrópole como Campinas, exigirá do novo prefeito e de sua equipe uma visão de 360 graus amplamente subsidiada de informações que permitam o enfrentamento adequado de cada situação específica.

 

Na área da educação, quais são seus principais projetos?

A falta de vagas em creches no município de Campinas, segundo os números oficiais, chega a cinco mil, mas sabemos que extraoficialmente esse déficit atualmente é de oito mil vagas. Esse será um dos pontos focais da nossa administração.

Os recursos para zerar a falta dessas vagas em creches serão obtidos com a economia proporcionada pelo corte de pelo menos 80% dos cargos em comissão. Atualmente existem cerca de 2.000 funcionários comissionados apenas na administração direta, que representam um gasto anual em torno de R$ 70 milhões. Revisão dos contratos com sobrepreço e, ainda, com repasses do Fundeb, do Governo Federal.

Além disso, iremos fazer um gerenciamento mais eficiente de recursos da educação. Em 2019, por exemplo, cerca de R$ 80 milhões da verba para o setor foram gastos na compra de imóveis, exclusivamente para atingir o limite previsto em lei.

Pretendemos também ampliar o período que crianças do ensino Infantil e do Fundamental ficam na escola, criando novas turmas de período integral onde crianças e pré-adolescentes possam ter acesso a atividades extracurriculares que os afastem das ruas e estimulem e ajudem para que elas se sintam motivadas e que o conhecimento seja sua principal força. Os profissionais da educação também serão estimulados e valorizados, com cursos de requalificação profissional e incentivo profissional.

 

Orsi: “A nova administração municipal terá de assumir ativamente o papel de indutor do desenvolvimento econômico, com medidas para aliviar o efeito da pandemia”

 

Quais são suas principais propostas para a área da saúde?

Campinas é um dos mais importantes polos de saúde do País, com instituições e profissionais de alta excelência. Nosso governo pretende aproveitar essas competências para estreitar e ampliar as parcerias do poder público com entidades como a PUC-Campinas e a Unicamp.

É importante ressaltar que no atual governo essa cooperação foi gradualmente desestimulada, abrindo caminho para operações criminosas como a que foi descoberta no Hospital Ouro Verde Edivaldo Orsi, maior hospital público gerido pela Prefeitura de Campinas. Investigação deflagrada pelo Ministério Público nesta instituição apurou desvios de recursos, através de uma organização social contratada pela Prefeitura, de cerca de R$ 20 milhões.

Com os recursos sendo usados com competência, honestidade e transparência, vamos contratar mais médicos, enfermeiros, atendentes e garantir a distribuição de mais medicamentos para a população. Vamos lançar mão da tecnologia, com implantação de aplicativo para celular, que permitirá desde a marcação de consultas até o resultado de exames.

 

Como pretende impulsionar a economia local, abalada pela pandemia de covid-19, sem diminuir os cuidados com as medidas sanitárias e o combate à doença no município?

A preocupação com a vida será ponto focal em meu governo. Dessa forma, enquanto o vírus estiver circulando entre a população, iremos respeitar todos os protocolos e medidas sanitárias recomendadas para evitar uma nova onda da pandemia.

No entanto, a roda da economia precisa continuar girando. Campinas é uma cidade dinâmica e historicamente superou momentos de crise mais rapidamente do que outros municípios do mesmo porte.

Para isso, além dessa natural capacidade de reinvenção dos empreendedores campineiros, a nova administração municipal terá de assumir ativamente o papel de indutor do desenvolvimento econômico, com medidas para aliviar o efeito da pandemia, especialmente nos micro e pequenos empreendimentos, proporcionando, por exemplo, condições favoráveis de repactuação do pagamento de impostos e taxas atrasados.

 

O senhor tem projetos para o estímulo ao empreendedorismo?

Vamos melhorar o ambiente de negócios no município através da informatização de processos administrativos, permitindo mais transparência e menos burocracia. Também me comprometo a revisar a política fiscal, especialmente as distorções existentes no IPTU.

De forma prática, também quero adotar medidas que facilitem a vida de quem deseja empreender, como a MP da Liberdade Econômica, assinada pelo presidente Jair Bolsonaro em 2019. Essa medida provisória facilita a abertura e o funcionamento de empresas excluindo a necessidade de qualquer tipo de licença e alvará para atividades consideradas de baixo risco, independentemente do tamanho da empresa.

Além de procurar descomplicar o processo de implantação de empresas no município, iremos estabelecer um forte vínculo com o Sebrae, ampliando o suporte e o acesso gratuito de pequenos empreendedores aos serviços de assessoria e consultoria da entidade, já que pequenos e microempresários são responsáveis pela maior parte dos empregos gerados na nossa cidade.

 

Quais são os valores defendidos pelo PSD que o senhor pretende fortalecer em uma eventual gestão?

Estamos perfeitamente alinhados a todos os preceitos defendidos pelo nosso partido, o PSD, como a defesa da iniciativa e da propriedade privadas, assim como da economia de mercado como o regime capaz de gerar riqueza e desenvolvimento e erradicar a pobreza.

Nesse sentido, nosso propósito é criar um ambiente de negócios favorável no município, com ações que reduzam o custo Campinas, como revisões tributárias e tarifárias (Campinas tem hoje a tarifa de água mais cara do Brasil e o IPTU mais alto da região), estimulando, assim, a criação e vinda de empresas para o município, notadamente as de perfil tecnológico, identificadas com a vocação mais recente do município.

Ao mesmo tempo iremos apoiar fortemente as políticas sociais aos que mais precisam do amparo do Estado e implantaremos medidas para abrir as portas de entrada do emprego digno para esses cidadãos. Outro importante ponto de contato de nossa futura administração com as diretrizes defendidas pelo PSD é o princípio de que o exercício da política tem de ser responsável, transparente, não comportando conluios, conchavos ou sombras.

Por isso, nesta eleição descartamos montar um amplo arco de alianças partidárias, condição que nos deixará mais à vontade para implantar um governo sem amarras políticas e que vise, essencialmente, ao bem-estar dos campineiros e o desenvolvimento de Campinas.

 

Quantos candidatos a vereador o partido lançou na cidade? Há uma estimativa interna de quantos o PSD deve eleger no município?

O PSD lançou 33 candidatos a vereador em Campinas nesta eleição. Pela representatividade dos postulantes à Câmara e pelo desejo de mudança que temos identificado na população de Campinas, nossa estimativa é que faremos a maior bancada da história do partido na cidade (Em 2016, o PSD elegeu três vereadores. Atualmente conta com dois parlamentares).

 

Artur Orsi cumprimenta eleitora

 

Como pretende se relacionar com o Legislativo?

Meu histórico como vereador por três mandatos me credencia a estabelecer uma relação de respeito e confiança com o Legislativo. Também tenho certeza de que os vereadores de Campinas saberão compreender sua missão para com o município e os campineiros e estarão ao meu lado na votação das questões importantes para a cidade. Compreendo perfeitamente ainda o papel fiscalizador da Câmara de Vereadores e determinarei a todos os integrantes do meu governo que pautem suas atitudes pela mais absoluta transparência e ética.

 

Como foi a escolha do candidato a vice na chapa? Quais são as virtudes políticas, pessoais e profissionais do seu companheiro de chapa que o senhor destacaria?

Meu vice é o Capitão Pereira, oficial da Polícia Militar. Jovem, articulado e dinâmico, Capitão Pereira é formado em Ciências Policiais e de Segurança Pública pela Academia do Barro Branco e em Direito. Tem ainda cursos de Especialização em Controle de Multidões, Força Tática, Análise Criminal, Policiamento em Eventos, entre outros.

Profissional exemplar, voluntarioso e de bons princípios, Capitão Pereira tem uma extensa vivência no combate ao crime nas ruas e na proteção dos cidadãos. Sua presença em nossa chapa como candidato a vice-prefeito vai de encontro ainda a um dos pontos mais importantes de nossa futura administração: a segurança pública. Tendo ele ao meu lado, iremos transformar Campinas em uma das cidades mais seguras do Brasil.

Um dos projetos que iremos implantar logo no início de governo é o de criação de um cinturão de segurança com a utilização das mais de 300 câmeras que existem em toda cidade e que atualmente são empregadas exclusivamente para multar motoristas.

 

RAIO-X

Nome completo: Artur Casseb Orsi.

Idade: 50 anos.

Formação acadêmica: Direito (PUC-Campinas).

Estado civil: casado com a médica Fernanda.

Filhos: Rafaela e Artur.

Mandatos que já exerceu: vereador por três mandatos.

Ídolo na política: Meu pai, o ex-prefeito de Campinas Edivaldo Orsi.

Frase que o inspira: “O que me preocupa não é o grito dos maus. É o silêncio dos bons” – Martin Luther King Jr.

 Comente!



multimídia
Vídeos
WhatsAppFacebookTwitter