Covid-19

Ourinhos sediará projeto pioneiro na América Latina

Município administrado pelo prefeito Lucas Pocay (PSD) foi escolhido para testar um dispositivo que vai permitir, por meio da análise de apenas uma gota de sangue, a avaliação dos impactos da doença


16 de fevereiro de 2021

Apresentação do projeto em Ourinhos: equipe poderá ter em mãos os primeiros resultados até o final de 2021.

Administrado pelo prefeito Lucas Pocay (PSD), o município de Ourinhos, no interior do Estado de São Paulo, foi escolhido por um grupo de pesquisadores para a implantação do primeiro centro de testagem, na América Latina, de um dispositivo que, por meio da análise de apenas uma gota de sangue, permitirá a avaliação dos impactos da covid-19 em cada paciente. A iniciativa reúne profissionais do renomado Imperial College London, na Inglaterra, da Universidade de Nebraska, nos Estados Unidos, e da faculdade de Medicina da Unesp em Botucatu, cidade também situada no interior paulista.

O trabalho do grupo já é desenvolvido em países como Polônia, Espanha e Itália. Em Ourinhos, a coleta de sangue de dois mil pacientes da Santa Casa e do Hospital Covid, todos maiores de 18 anos, começou nesta segunda-feira (15). Os organizadores estimam que a pesquisa será finalizada até 2024. Entretanto, a equipe poderá ter em mãos os primeiros resultados até o final de 2021.

“É um grande projeto e Ourinhos será referência no mundo todo de enfrentamento à covid-19 e suas sequelas. Nós teremos o primeiro centro de testagem na América Latina desse moderno dispositivo que, através de gotículas de sangue, fará uma análise completa. Poderemos melhorar o tratamento e fazer com que as pessoas tenham um avanço no combate às sequelas”, afirmou o prefeito.

Pocay destacou, ainda, que a seriedade das decisões tomadas por sua gestão no enfrentamento à doença influenciaram na escolha do município para o projeto. “Tudo o que nós estamos fazendo desde o início, de forma muito transparente e responsável, fez com que Ourinhos fosse uma referência. Até hoje mantemos o hospital de campanha, coisa que pouquíssimas cidades no Brasil ainda mantêm.”

Realizado sem qualquer custo para o município, o projeto receberá investimento de cerca de R$ 6,5 milhões. De acordo com o grupo de pesquisadores, a coleta de cada amostra de sangue custará, em média, US$ 600 e o dispositivo também permitirá a análise dos impactos da dengue.

Parceria

A pesquisadora Juliana Floriano, da Unesp, agradeceu o apoio que recebeu de Pocay e da secretária municipal de Saúde, Cássia Palhas. Ela ressaltou a importância da parceria entre as instituições acadêmicas e a Prefeitura de Ourinhos. “As amostras são muito valiosas para que a gente possa entender essa pandemia, mitigar o impacto dessa doença, trazer qualidade de vida e diminuir os custos com saúde pública”, frisou Juliana.

Além dela, fazem parte do grupo o brasileiro Carlos Graeff; os pequisadores Jiri Adamec e Camila Braga, que trabalham para a universidade norte-americana; e Constanza Emanueli, profissional da instituição inglesa.

Casos

Segundo o boletim epidemiológico divulgado pela Prefeitura de Ourinhos nesta segunda-feira, a cidade, que tem população estimada em 114 mil habitantes, registrou 5.823 casos de covid-19 desde o início da pandemia. Desse total, 5.503 pacientes já foram curados. Outros 94 morreram em função da doença.

 Comente!



multimídia
Vídeos
WhatsAppFacebookTwitter