Pesquisa: a cada cinco paulistas, um já foi vítima de crime.

Conclusão é de um estudo feito por encomenda do Ministério de Justiça em 346 municípios brasileiros com mais de 15 mil habitantes.


06 de dezembro de 2013

No Estado de São Paulo, 20,1% da população já sofreram algum tipo de violência. A conclusão é de um estudo feito no ano passado, por encomenda do Ministério de Justiça, em 346 municípios brasileiros com mais de 15 mil habitantes. O Amapá é o Estado com o maior índice de crimes (46%), enquanto Santa Catarina – governado por Raimundo Colombo, do PSD –  apresenta o melhor resultado (17%).

Realizada pelo Datafolha, a Pesquisa Nacional de Vitimização foi a primeira de âmbito nacional e tinha por objetivo apontar a quantidade real de vítimas de crimes, independentemente dos registros policiais. Os resultados se referem ao período de 12 meses anterior ao levantamento, que foi concluído em outubro de 2012.

Leia também o artigo do especialista em segurança Túlio Kahn: “Pibinho” e “Crimão”

Considerando todo o País, 21% dos entrevistados disseram ter sido vítimas de algum dos 12 crimes pesquisados, como sequestro-relâmpago, furto ou roubo de carros ou agressão.

Os Estados do Norte e do Nordeste foram os que apresentaram os maiores índices. Questionados sobre a sensação de segurança, somente 22% dos entrevistados disseram se sentir “muito seguros” ao andar em seu próprio bairro à noite e 52% temem serem vítimas de bala perdida.

As agressões foram os crimes mais relatados da lista –14,3% dos entrevistados disseram ter sido vítimas, na maioria das vezes, de casos de “insulto, humilhação ou xingamento”. Em relação ao local das ocorrências, a maior parte dos crimes relatados foi dentro de casa ou na rua em que moram.

A maioria das vítimas disse não ter dado queixa à polícia – 80,1% não comunicaram os casos. Dos crimes pesquisados, o roubo de carros foi o que teve maior taxa de notificação, cobrindo 90% dos casos. A menor notificação foi entre as vítimas de discriminação, com apenas 2%. Dos que registraram os crimes, 45% não ficaram satisfeitos com o atendimento recebido.

Entre os que avaliaram positivamente a polícia, em apenas 5,7% dos casos o motivo apontado foi a recuperação de algum bem e em 3,7% foi a prisão dos criminosos – motivos que estão entre os que mais levam pessoas a registrar boletim de ocorrência.

A pesquisa aponta que 78% das pessoas dizem confiar na Polícia Militar, mas apenas 18% dizem que a confiança é grande. Questionados sobre a atuação dos policiais, 58% disseram que eles abusam da autoridade.

A pesquisa também aponta que 6,7% das pessoas disseram ter sido vítimas de agressão verbal por parte de um PM, 4%, de agressão física e 2,2% foram extorquidos.

 

 Comente!



multimídia
Vídeos
WhatsAppFacebookTwitter