Prefeita de Fernandópolis participa de evento sobre abuso e exploração sexual infanto-juvenil

Além da conscientização, evento teve como objetivo capacitar os profissionais que compõem a rede de atendimento infanto-juvenil do município e região.


16 de maio de 2013

A prefeita Ana Bim fala durante o evento

A prefeita Ana Bim fala durante o evento

A prefeita de Fernandópolis, Ana Bim, esteve nesta quinta-feira (16) no Teatro Municipal participando de um encontro promovido pela Secretaria de Assistência Social, através do CREAS – Centro de Referência Especializado da Assistência Social, em comemoração ao Dia Nacional de Combate ao Abuso e a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.

O objetivo foi promover a conscientização sobre a importância de combater a violência contra as crianças e os adolescentes em todos os aspectos (psicológicos, físicos, sexuais, negligência e abandono), além de capacitar os profissionais que compõem a rede de atendimento infanto-juvenil do município e região.

Às 8h, os participantes foram recebidos com um café da manhã acompanhado da apresentação dos músicos do Projeto Guri. Na sequência foram convidados a compor a mesa principal a prefeita, a Secretária Municipal da Assistência Social e Cidadania, Silmara Biroli, o Presidente do Conselho Tutelar, Manoel Franco de Souza e a Coordenadora do CREAS, Natália Martins Del Grossi.

Em seu discurso a prefeita Ana Bim falou sobre sua experiência como assistente social, e que eventos como esse são fundamentais para disseminar a conscientização sobre este tipo de violência.

Na sequência a palestrante Rosimar de Paiva, especialista em Perícia Criminal e na área de Violência Doméstica contra Crianças e Adolescentes, falou sobre o papel da Rede na prevenção e no atendimento.

O Dia Nacional do Combate ao Abuso e a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes foi criado por causa de um crime bárbaro ocorrido em 1973 na cidade de Vitória (ES), que chocou o país e ficou conhecido como o “Caso Araceli”. Esse era o nome de uma menina de apenas oito anos de idade que teve todos os seus direitos humanos violados: foi raptada, estuprada e morta por jovens de classe média alta. O crime apesar de sua natureza hedionda, até hoje está impune.

A proposta da data (18 de maio) é destacar esse dia para mobilizar, sensibilizar, informar e convocar toda a sociedade a participar da luta em defesa dos direitos de crianças e adolescentes.

 Comente!



multimídia
Vídeos
WhatsAppFacebookTwitter