Louveira

Prefeitura vai pagar auxílio emergencial para comerciantes

Gestão do prefeito Estanislau Steck (PSD) concederá três parcelas mensais de R$ 1 mil para proprietários de estabelecimentos comerciais prejudicados pela pandemia de covid-19


31 de março de 2021

O prefeito Estanislau Steck: “sabemos que o acúmulo de dívidas gerado pela interrupção do faturamento pode inviabilizar a continuidade desses trabalhos no futuro”

 

Em Louveira — município de 49 mil habitantes do interior do Estado de São Paulo — a gestão do prefeito Estanislau Steck (PSD) vai pagar três parcelas mensais de R$ 1 mil para comerciantes impedidos de trabalhar em função das restrições estabelecidas pelo Plano São Paulo, do Governo do Estado. O benefício, que deve ser concedido a partir de abril, faz parte de um pacote de ações elaborado pela Prefeitura para minimizar os impactos da pandemia de covid-19 na economia local. Saiba mais aqui.

“O objetivo da Prefeitura é oferecer apoio para que esses comerciantes consigam continuar após a pandemia, pois sabemos que o acúmulo de dívidas gerado pela interrupção do faturamento pode inviabilizar a continuidade desses trabalhos no futuro”, explicou o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Alessandro Ribeiro Walter.

O projeto que estabelece o auxílio foi aprovado nesta terça-feira (30), por unanimidade, pela Câmara Municipal. A medida deve beneficiar cerca de 500 proprietários de restaurantes, lanchonetes, academias e centros de ginástica, bares, lojas de roupas, salões de cabeleireiros, barbeiros, manicures, pedicures, entre outros estabelecimentos comerciais.

Os beneficiados deverão comprovar que exercem a atividade econômica em Louveira há pelo menos um ano e estão regularmente cadastrados na Secretaria Municipal de Finanças. Além disso, precisam declarar carência financeira e possuir contrato de locação do estabelecimento ou dos equipamentos utilizados em sua atividade.

Nos próximos dias, assim que o projeto for sancionado, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico deve disponibilizar um link para inscrições. Caso descumpra as normas estabelecidas pelo Plano São Paulo e as demais determinações da Vigilância Sanitária de Louveira, o comerciante beneficiado terá que devolver os valores recebidos.

 Comente!



multimídia
Vídeos
WhatsAppFacebookTwitter