SAÚDE

Prefeituras do PSD intensificam combate à dengue

Gestões do partido no interior paulista promovem ações de conscientização, eliminação de criadouros do mosquito Aedes aegypti e fiscalização de terrenos


12 de fevereiro de 2020

 

Em Itupeva, campanha recolhe pneus em diversos locais da cidade

 

No interior do Estado de São Paulo, as prefeituras do PSD intensificaram as ações de combate ao Aedes aegypti, mosquito transmissor de doenças como a dengue, zikachikungunya. Administrada pelo prefeito Eduardo Correa Sotana, o Tatu, a cidade de Maracaí, que tem população estimada em 14 mil habitantes, ampliou a fiscalização de terrenos em situação de abandono, com mato alto e acúmulo de lixo.

No mês passado, a Prefeitura emitiu 265 notificações para que os proprietários providenciassem a limpeza dos terrenos. Em janeiro de 2019, foram 49 notificações.

O número de penalidades aplicadas também teve um crescimento significativo. Durante todo o ano de 2019, a administração emitiu 29 multas. Somente no mês passado, foram 36.

Após a notificação, os proprietários têm dez dias para realizarem a limpeza. Caso isso não ocorra, devem pagar multa de R$ 241,70. A Prefeitura executa o serviço de limpeza e, além da multa, cobra R$ 0,29 por metro roçado do terreno.

Para eliminar os criadouros do mosquito, a gestão do prefeito de Itupeva, Marcão Marchi (PSD), promove desde segunda-feira (10) uma campanha de recolhimento de pneus em diversos locais da cidade, que tem população estimada em 61 mil habitantes. A campanha prossegue até o dia 18 e a relação completa dos bairros que receberão os serviços pode ser conferida aqui. No ano passado, as equipes de agentes de endemias coletaram cerca de 200 pneus e visitaram oito mil imóveis.

Em Presidente Venceslau, município de 39 mil habitantes, a gestão do prefeito Jorge Duran promove nesta quarta-feira (12), no CEU das Artes, uma atividade de capacitação de diretores e professores da rede municipal de ensino. A atividade será aberta à população.

“Nosso objetivo é fazer com que diretores e professores realizem atividades de prevenção dentro das salas de aula, para que as crianças possam levar o aprendizado para casa”, explicou o secretário municipal de Saúde, Fernando Hamada. Segundo Hamada, a atividade complementa outras ações já promovidas no município, como os mutirões de limpeza e os materiais divulgados na mídia local.

Casos

De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde, São Paulo registrou em janeiro 10.890 casos e duas mortes provocadas por dengue. Os números caíram pela metade em relação ao mesmo período de 2019, quando houve 24.640 casos e 17 mortes. Ainda assim, são considerados altos pelo governo estadual.

 Comente!



multimídia
Vídeos
WhatsAppFacebookTwitter