PSD lamenta morte de Roberto Civita, do Grupo Abril.

A morte do jornalista é uma perda imensa para São Paulo, para o Brasil e para a nossa democracia, disse o presidente do PSD, Gilberto Kassab, em nota de pesar.


27 de maio de 2013

Roberto Civita e Gilberto Kassab

O presidente nacional do Partido Social Democrático (PSD), ex-prefeito de São Paulo Gilberto Kassab, divulgou nesta segunda-feira (27) nota de pesar pelo falecimento do empresário Roberto Civita, diretor editorial e presidente do Conselho de Administração do Grupo Abril.

Civita, de 76 anos, faleceu no domingo (26), às 21h41, na capital paulista, devido à falência de múltiplos órgãos. O velório acontece nesta segunda (27), das 11h às 17h, no Crematório Horto da Paz, em Itapecerica da Serra, São Paulo. Ele estava internado no Hospital Sírio-Libanês há três meses para a correção de um aneurisma abdominal.

Roberto Civita acumulava os cargos de presidente do conselho de administração e diretor editorial da empresa. No entanto, desde 20 de março de 2013, a presidência do conselho já era função interina de seu filho Giancarlo. Na ocasião, a troca de comando foi informada pelo Grupo Abril porque Roberto estava internado se recuperando de uma cirurgia para colocação de um stent (prótese metálica expansível) no abdome e ficaria afastado de suas atividades no período em que estivesse de repouso.

Nascido em 9 de agosto de 1936, em Milão, Roberto viveu, entre 1939 e 1949, em Nova York com a mãe, Sylvana, e o irmão Richard. Após esse período, a família se mudou para São Paulo, onde o pai Victor fundou a Editora Abril, publicando histórias em quadrinhos sob licença da Walt Disney Company – “Pato Donald” foi o primeiro título, em 1950.

Veja a íntegra da nova divulgada por Gilberto Kassab:

A morte de Roberto Civita é uma perda imensa para São Paulo, para o Brasil e para a nossa democracia. Criador de algumas das revistas mais importantes da história nacional (Veja e Realidade, entre outras) Roberto Civita deu uma grande contribuição para a qualidade da imprensa brasileira. Com sua defesa intransigente da liberdade de opinião, fez de suas revistas um instrumento de luta por um Brasil melhor, insistindo sempre na defesa do estado de direito, na busca de um sistema educacional eficiente e na remoção de obstáculos à ação modernizante da livre iniciativa.

Neste momento difícil, quero transmitir à família de Roberto a minha solidariedade e apreço.”

 

 Comente!



multimídia
Vídeos
WhatsAppFacebookTwitter