Eleições 2020

Renata Paiva quer regularização fundiária em São José

Candidata do PSD fala sobre suas propostas para levar infraestrutura e desenvolvimento aos bairros do município do interior paulista


16 de outubro de 2020

 

A candidata Renata Paiva: “Vou levar infraestrutura e desenvolvimento para os bairros que mais precisam, especialmente na periferia”

 

Garantir infraestrutura digna e melhores condições de vida para a população de bairros irregulares de São José dos Campos será uma das prioridades de um eventual governo da candidata a prefeita Renata Paiva (PSD). Caso vença a eleição, ela promete criar o maior programa de regularização fundiária já realizado no município de cerca de 729 mil habitantes do Vale do Paraíba, no interior do Estado de São Paulo.

“São José dos Campos tem hoje mais de 150 bairros irregulares esquecidos pelo prefeito, alguns bem próximos ao centro da cidade. Falta quase tudo: asfalto, espaços públicos para saúde, educação e lazer. Vou criar o maior programa de regularização fundiária que São José dos Campos já viu. Vou levar infraestrutura e desenvolvimento para os bairros que mais precisam, especialmente na periferia”, afirma a candidata.

Em entrevista ao site do PSD, Renata Paiva detalhou propostas para outras áreas, como educação e saúde, além de falar sobre a escolha do candidato a vice na chapa majoritária (o economista e empreendedor social Mário Domingos, também filiado ao partido) e suas expectativas em relação à eleição de novembro próximo.

Confira a entrevista a seguir:

Como a senhora avalia a situação da cidade hoje? Caso seja eleita, quais serão as suas prioridades?

Nestes últimos anos São José dos Campos não avançou e a população sabe bem disso. Teve sua economia praticamente estagnada, a saúde piorou, o emprego desapareceu, assim como as moradias, o social, o transporte público. A insegurança aumentou muito. Falta competência para o atual governo resolver problemas vitais para a qualidade de vida da nossa população. O prefeito gasta muito e gasta mal. Não falta dinheiro na nossa cidade, falta responsabilidade e transparência no gasto do dinheiro do povo. Com o orçamento que a cidade tem hoje é possível fazer muito mais e melhor para todos.

Vou administrar o dinheiro público com transparência e competência, aplicando os recursos conforme as necessidades de toda a população, para que o desenvolvimento seja para todos. Minhas prioridades serão o desenvolvimento econômico e o desenvolvimento social. Essas políticas vão andar juntas. Só é possível ter uma cidade desenvolvida com essas duas políticas essenciais em equilíbrio

Quais são os bairros que não receberam a devida atenção da atual gestão que a senhora pretende valorizar?

São José dos Campos tem hoje mais de 150 bairros irregulares esquecidos pelo prefeito, alguns bem próximos ao centro da cidade. Falta quase tudo: asfalto, espaços públicos para saúde, educação e lazer. Vou criar o maior programa de regularização fundiária que São José dos Campos já viu. Vou levar infraestrutura e desenvolvimento para os bairros que mais precisam, especialmente na periferia.

Na área da educação, quais são seus principais projetos? 

Para mim, a educação de qualidade é a base para um futuro de sucesso, para as pessoas e a cidade. Vou valorizar o professor e os profissionais da educação. Implantar o ensino integral em todas as creches e escolas municipais. Vou criar o PAS nas Escolas, que será a atuação de psicólogos e assistentes sociais no ambiente escolar. Fortalecer a inclusão das crianças com deficiência e implantar o Programa Bilíngue, que é a inserção de Libras (Língua Brasileira de Sinais) e braile na rede municipal de ensino. Vou implantar também na rede de educação municipal o programa de educação para o mercado de trabalho e empreendedorismo, bem como fortalecer a segurança nas escolas com a Guarda Civil Municipal.

Quais são suas principais propostas para a área da saúde?

A situação da saúde em São José dos Campos beira o escândalo. O prefeito atual gasta quase a metade de todo o orçamento da cidade em saúde, sem resultados eficientes para a população. Não é falta de dinheiro. É falta de boa administração do dinheiro público, falta de transparência.

Para se ter uma ideia, o prefeito inventou uma coisa chamada UBS Resolve que não resolve quase nada. As pessoas agora demoram mais tempo que antes para fazer exames e muito mais tempo para conseguir um especialista para consultar.

Nós vamos investir o dinheiro com responsabilidade e transparência. Vamos valorizar o profissional da saúde e humanizar o atendimento. Ampliar o número de consultas, principalmente com especialistas, ampliar vagas para exames e cirurgias. 

Vamos criar os centros de referência em saúde para crianças, adolescentes e idosos, reestruturar o Hospital da Mulher e implantar a rede integrada de apoio e cuidados à mulher vítima de violência. Vamos implantar o Saúde em Casa, atendimento domiciliar para acamados, e o Programa Cuidar de quem Cuida, com atenção, suporte e apoio para as pessoas que cuidam de idosos e convalescentes. Vamos implantar na rede de saúde básica um programa de medicina preventiva, com cuidados, atividades físicas e hábitos saudáveis. Vamos ampliar e fortalecer a rede de atendimento à saúde mental.

Como pretende impulsionar a economia local, abalada pela pandemia de covid-19, sem diminuir os cuidados com as medidas sanitárias e o combate à doença no município? 

O desenvolvimento econômico de São José dos Campos praticamente parou no atual governo desde muito antes da pandemia. O prefeito gosta de falar em atração de grandes empresas, mas é só discurso. Nada ou quase nada aconteceu. 

Nós vamos fazer diferente: vamos apoiar e investir nos empreendedores individuais, as micro e pequenas empresas, porque são eles os responsáveis por 70% dos empregos, respeitando as regras sanitárias e preservando as pessoas de se exporem demasiadamente ao risco.  

Vamos qualificar trabalhadores, estudantes, jovens, mulheres e idosos com a criação da Escola do Trabalho, oferecendo cursos de verdade. Vamos formar empreendedores, oferecer financiamento de baixo custo, dar apoio tecnológico e criar o cartão do empreendedor, em que ele terá um crédito aprovado para investir, como o cartão do BNDES. Vamos estimular o desenvolvimento das cooperativas, empreendedores individuais, economia criativa e potencializar o turismo, gerando empregos e renda.

Quais são os valores defendidos pelo PSD que a senhora pretende fortalecer em uma eventual gestão?

Vamos fazer uma gestão aberta, transparente, participativa e para as pessoas, trabalhando prioritariamente em dois eixos: desenvolvimento econômico e desenvolvimento social.

Quantos candidatos a vereador o partido lançou na cidade? Há uma estimativa interna de quantos o PSD deve eleger no município? 

Em São José dos Campos temos 32 candidatos a vereador. Aqui 40% dos nossos candidatos são mulheres: 13 estão concorrendo pelo PSD às vagas do legislativo municipal. A estimativa é elegermos, no mínimo, três.

Como pretende se relacionar com o Legislativo? 

Respeitando a independência dos poderes, construindo um ambiente harmônico, dialogando e trabalhando muito em conjunto para o bem da cidade e das pessoas que vivem aqui em São José dos Campos.

Como foi a escolha do candidato a vice na chapa? Quais são as virtudes políticas, pessoais e profissionais do seu companheiro de chapa que a senhora destacaria? 

Nosso vice foi escolhido por unanimidade pelo partido. Também filiado ao PSD, Mário Domingos é economista e empreendedor social, foi diretor do Sesi durante muitos anos e presidente da Fundação Cultural Cassiano Ricardo, autarquia municipal que cuida das políticas públicas para a arte e a cultura.

Mário representa o terceiro setor e respira arte e cultura, é voluntário em várias ações sociais. Nunca disputou nenhuma eleição e está muito motivado pelo desafio de ser um instrumento de mudança em São José dos Campos.

Caso vença a eleição, como pretende ser lembrada pela população ao final do mandato?  

Quero ser lembrada como sempre sou aqui na cidade: uma pessoa do bem e incessante batalhadora pela melhoria de vida das pessoas. Para mim, toda política pública deve beneficiar em primeiro lugar a vida.

 

RAIO-X

Nome completo: Renata Lemes de Paiva Mendes da Costa.

Idade: 59 anos.

Profissão: Advogada.

Estado civil: Casada com Olindo Mendes da Costa.

Filhos: Tenho dois (Gabriel, de 33 anos, e Harllen, 38 anos)

Mandatos que já exerceu: Três mandatos como vereadora.

Ídolo na política: Nelson Mandela.

Frase inspiradora: “Ninguém nasce odiando outra pessoa pela cor de sua pele, por sua origem ou ainda por sua religião. Para odiar, as pessoas precisam aprender e se podem aprender a odiar, elas podem ser ensinadas a amar.”

 Comente!



multimídia
Vídeos
WhatsAppFacebookTwitter