ESPÍRITO SANTO DO PINHAL

Sergio Bianchi investirá R$ 4,2 mi em gestão de resíduos

Prefeito do PSD destinará recursos conquistados junto ao Governo Federal para a aquisição de veículos da coleta de lixo, equipamentos e construção de usinas


13 de fevereiro de 2020

 

O prefeito Sergio Del Bianchi Junior com o ministro Ricardo Salles e do Guilherme Campos

 

O prefeito de Espírito Santo do Pinhal, Sergio Del Bianchi Junior (PSD), participou nesta quarta-feira (12), em Brasília, do evento que marcou a assinatura dos convênios do Programa de Gestão de Resíduos Sólidos, do Governo Federal. Realizado no salão nobre do Palácio do Planalto, o ato contou com o presidente da República, Jair Bolsonaro, e o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles.

Espírito Santo do Pinhal, município do interior paulista com população estimada em 44 mil habitantes, é uma das 57 cidades brasileiras contempladas pelo programa e receberá investimento de R$ 4,2 milhões. A verba será utilizada na compra de veículos para as coletas de lixo orgânico e reciclável, máquinas e equipamentos para a construção de duas usinas, uma de reciclagem e outra para o aproveitamento de resíduos da construção civil.

“Trata-se do maior convênio já firmado entre Espírito Santo do Pinhal e um órgão governamental. Uma importante conquista, fruto de muito empenho da nossa equipe de governo, que tem trabalhado arduamente para fazer de nossa cidade um lugar cada vez melhor para se viver. Estar em Brasília ao lado do presidente Bolsonaro e representando o nosso povo é motivo de muito orgulho e satisfação”, destacou Sérgio Bianchi. O prefeito fez uma transmissão ao vivo do evento em suas redes sociais, ao lado do ministro Ricardo Salles e do ex-deputado federal e diretor de Administração e Finanças do Sebrae-SP, Guilherme Campos.

 

 

Ricardo Salles parabenizou o prefeito e disse que, por determinação do presidente Bolsonaro, dará atenção especial às necessidades dos municípios. O ministro também falou sobre as prioridades da Agenda Nacional de Qualidade Ambiental Urbana, política pública lançada em 2019 pelo Ministério do Meio Ambiente.

“Essa agenda envolve qualidade de vida, o cuidado com as áreas verdes urbanas e a recuperação de áreas contaminadas. A falta de ordenamento territorial e saneamento aumenta problemas como os que acabamos de ver em São Paulo, com enchentes causadas por questões que são tratadas diretamente pela agenda: a impermeabilização do solo e o descarte adequado de resíduos sólidos urbanos.”

O prefeito e o presidente Jair Bolsonaro

Recursos

Os convênios celebrados com os municípios totalizam R$ 64 milhões, provenientes do Fundo de Direitos Difusos dos ministérios da Justiça e do Meio Ambiente. A iniciativa faz parte do Programa Nacional Lixão Zero e da Agenda Nacional de Qualidade Ambiental Urbana.

 Comente!



multimídia
Vídeos
WhatsAppFacebookTwitter